Buscar

A MELHOR VACINA É PROTEGER A VIDA: COMO DENUNCIAR



Muito dos caçadores do Rio Grande do Sul e defensores da caça ilegal argumentam que a atividade é uma “tradição” da área. Essa justificativa tentar tirar a responsabilidade dos caçadores e legitimar a ação, afinal, isso faz parte da cultura. Mas não é bem assim, desde os anos 1960, a caça foi proibida no país, por conta da redução da população de diversas espécies de animais e pelo perigo do desequilíbrio ambiental e impacto na saúde que a atividade trazia ao Brasil.


Entender que tradições mudam e que a preservação desses animais é essencial para o planeta e para nós mesmos é essencial. Não só crime ambiental, a caça também é um risco a nossa própria saúde, como mostramos durante toda nossa campanha. A atual pandemia de Covid-19 e as zoonoses tratadas até aqui são exemplos claros de que não devemos entrar contato com os animais silvestres através da caça, tráfico de animais e consumo da carne de caça.


O Instituto Curicaca acredita que preservar a vida de todos animais também é preservar a biodiversidade e cuidar das pessoas.


Como denunciar


A Divisão de Controle e Monitoramento da Qualidade Ambiental da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Infraestrutura - SEMA é o setor responsável por apurar as denúncias envolvendo a caça de fauna silvestre nativa, como caça, inclusive em UCs estaduais. Os telefones de contato são: (51) 3288-8135 / 3288-8136.

Já o IBAMA é o órgão federal vinculado ao Ministério do Meio Ambiente responsável pela fiscalização ambiental em âmbito nacional, recebendo denúncias relativas à caça, comercialização e criação de espécies nativas da fauna brasileira. Para contribuir deve-se responder o formulário online por meio do Sistema de Ouvidorias (e-OUV) ou pela Ouvidoria-Geral da União.


O Curicaca em seu site oficial tem uma página destinada a informar sobre como, onde e para quem denunciar essas práticas ilegais, como desmatamento, queimadas, caça, poluição, descarte indevido de resíduos, entre outros.

CURIO1.png