Buscar

A sociedade gaúcha abraça a FZB pedindo a não extinção

A luta pela preservação da Fundação Zoobotânica vem de seu inestimável valor e insubstituibilidade. Foi esse o motivo que nesta terça-feira, 11, mais de 2.000 pessoas se mobilizaram em frente ao Jardim Botânico de Porto Alegre para dizer um grande “não” à extinção da FZB com um grande “abraço simbólico”.


A ação quis chamar a atenção do Governo e dos deputados estaduais à importância da Fundação para a ciência, a educação, a formação técnica, a conservação da biodiversidade, a coleção da nossa flora e fauna silvestres, os arboretos representativos da nossa botânica, o conhecimento em paleontologia, a expertise de seus funcionários e demonstrar que tudo isso é um bem público que não pode ser extinto.


O ato reuniu moradores do bairro, estudantes do curso de biologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), pesquisadores, trabalhadores e representantes de diversas organizações sociais, como o Instituto Curicaca, Onda Verde, InGá e MoGDeMA.



As mobilizações de rua apenas começaram nessa terça-feira. Uma agenda de mobilização está sendo construída e amanhã, dia 12, às 9h, haverá mais um ato em frente à Assembleia Legislativa. O Instituto Curicaca está propondo ao Governo do Rio Grande do Sul a retirada de PL 300/2015 e a formação de um Grupo de Trabalho com representantes do Governo, dos funcionários e da sociedade, para encontrar uma saída de reorganização que não passe pela extinção. Por enquanto, segue fortemente a campanha “Não à extinção da FZB”. A divulgação dos atos está rolando nas redes sociais.

CURIO1.png