Buscar

Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica do Rio Grande do Sul tem indicação de ONGs

A Assembleia Permanente de Entidades em Defesa do Meio Ambiente do Rio Grande do Sul (Apedema RS) reuniu-se nessa terça-feira, dia 6 de setembro, para tratar da indicação de três ONGs a integrarem a próxima gestão do Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica do Rio Grande do Sul.



Estiveram presentes Paulo Brack pelo InGá, Antônio Soler pelo CEA, Carla Fontana pelo Igre, Lisiane Becker pelo Mira-Serra, Francesca Ferreira pela Aipam, Luis Stumpf pelo Araça-piranga e, aqui do Curicaca, os associados Alexandre Krob e Letícia Bolzan.

Após um breve esclarecimento de como funciona a indicação de ONGs ambientalista, tendo como base a Resolução 001/96 do Conselho Nacional e o Regimento Interno do colegiado estadual, algumas das instituições presentes manifestaram interesse justificado em integrar o Comitê. Após a votação, foram escolhidos o Curicaca, a Mira-Serra e o Igre.


Alexandre Krob, coordenador técnico do Instituto Curicaca, comentou, após a reunião, que "mesmo de forma digital, é sempre um grande prazer reencontrar ambientalistas históricos do Rio Grande do Sul, alguns com os quais atuei conjuntamente na construção da Lei da Mata Atlântica e da Rede de ONGs da Mata Atlântica".


A coordenação da Apedema RS formalizará a indicação à presidência do Comitê, hoje exercida pelo Instituto Curicaca e com vice-presidência da Secretaria Estadual de Cultura, e a posse das ONGs, universidades, representações de indígenas, agricultores, pescadores e do órgãos governamentais federais e estaduais acontecerá na próxima reunião do dia 13 de setembro.