Buscar

Curicaca coordena mesa de debate sobre práticas em agroflorestas e extrativismo sustentável

A Secretaria Estadual do Meio Ambiente (SEMA) realizou nos dias 2 e 3 de julho o seminário  “Agroflorestas e extrativismo sustentável  da vegetação nativa como ferramentas de conservação e restauração de biodiversidade” através do Departamento de Florestas e Áreas Protegidas (DEFAP) e do RS Biodiversidade. Foram dois dias de palestras e mesas de debates, que ocorreram no Convento dos Freis Capuchinhos em Porto Alegre.


A mesa da tarde do primeiro dia foi mediada pelo coordenador do Instituto Curicaca, Alexandre Krob, que também falou sobre a situação dos butiazais. O Instituto Curicaca vem desenvolvendo o programa Conservação e uso sustentável dos butiazais do Litoral Norte do Rio Grande do Sul e também é parceiro em projetos que estão definindo no nível nacional as diretrizes para o manejo sustentável do pinhão e da erva mate.


Alexandre Krob ressaltou a importância socioeconômica dos butiazais, principalmente para a produção do artesanato com fibra, mas também considerando a possibilidade de uso do fruto. A situação de ameaça do ecossistema butiazal do Litoral Norte também foi destacada: atualmente há, mais ou menos, 50 remanescentes que totalizam 112 hectares entre Osório e Torres, o que é muito pouco. A maioria desses remanescentes tem um grau de impacto bastante grande por diversos usos associados ao gado, ao extrativismo sem cuidado e ao avanço para retirada de madeira dentro dessas áreas.


A relação do Instituto Curicaca com os órgãos ambientais tem agregado muito aos projetos de conservação pela perspectiva de transformar essas experiências práticas em políticas públicas. Porém, segundo Alexandre Krob “embora haja boa disponibilidade do corpo técnico do DEFAP pra encontrar e construir soluções viáveis para garantir a conservação da biodiversidade, o órgão passa por uma falta grave de recursos humanos, faltando então capacidade para poder conduzir com agilidade as melhorias pretendidas. O Governo do Estado do Rio Grande do Sul precisa, urgentemente, fazer concurso público para técnicos da Secretaria Estadual de Meio Ambiente”.

CURIO1.png