Buscar

Curicaca dá início ao projeto dos Corredores Ecológicos da Quarta Colônia

O Instituto Curicaca foi selecionado pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente, através de licitação pública, como executor técnico de um novo projeto de Corredores Ecológicos no Rio Grande do Sul. A análise vai compreender todos os municípios da região de Quarta Colônia (Agudo, Dona Francisca, Faxinal do Soturno, Ivorá, Nova Palma, Pinhal Grande, Restinga Seca, São João do Polêsine e Silveira Martins), além de Itaara e Santa Maria. A iniciativa, que integra o projeto RS Biodiversidade, é uma das ações da FEPAM e foi demandada pelo CONDESUS, o Consórcio de Desenvolvimento Sustentável da Quarta Colônia.



Dez áreas florestais que hoje estão isoladas, seja por intervenção da agricultura ou pelo impacto das cidades, serão novamente interligadas pelos Corredores, permitindo a circulação da fauna local. Os tipos de vegetação predominantes na região, que corresponde principalmente à Depressão Central do Rio Grande do Sul, são os banhados, várzeas e as matas de galeria, que circundam rios de pequeno porte. A área do Parque Estadual Quarta Colônia, criado em 2005 como Unidade de Conservação com o objetivo de mitigar os impactos da construção da Usina Hidrelétrica de Dona Francisca no rio Jacuí, será um dos alvos principais de interligação entre os Corredores Ecológicos.


O projeto, com pouco mais de um mês, ainda está em fase de diagnóstico e mapeamento, para que enfim o traçado dos Corredores Ecológicos seja definido, já que a implementação de fato depende de uma série de avaliações prévias das áreas que podem inclusive já estar mais degradadas do que mostram os dados e imagens do último inventário realizado na região em 2002. Há um prazo de seis meses para que o projeto preliminar seja finalizado. Assim que aprovado, como um primeiro passo para a implementação dos Corredores, serão iniciadas oficinas de planejamento com a comunidade local.

CURIO1.png