Buscar

Projeto Onças do Yucumã visa a conservação da onça-pintada no Corredor Trinacional

O projeto de Onças do Yucumã para conservação da onça-pintada na porção sul do Corredor Trinacional (Argentina, Brasil e Paraguai) vem sendo executado pelo Instituto Curicaca com o objetivo de reduzir as principais ameaças ao maior felino da América do Sul. A onça-pintada é um ícone da biodiversidade na América Latina e ocorre desde o México até o Sul do Brasil. Muito conhecida na Amazônia e no Pantanal, ela também vive na Mata Atlântica e no Cerrado e encontra-se bastante ameaçada pela caça e o desmatamento, principalmente. O projeto ocorre por meio de parcerias que incluem a WWF Brasil, o Instituto de Biociências da UFRGS, o ICMBio, a Sema/RS e a Prefeitura Municipal de Derrubadas.



Uma das estratégias do projeto é articular gestores públicos, pesquisadores, representantes sociais e do setor produtivo numa cooperação que gere resultados positivos para a conservação da espécie e suas presas enquanto gera economias sustentáveis para a comunidade local. O ponto de partida foram os resultados das pesquisas feitas pelo Laboratório de Ecologia, Sistemática e Evolução de Aves e Mamíferos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (BiMaLab-UFRGS), que em 2018 apontaram a presença de três onças dentro do Parque Estadual do Turvo. Outra estratégia é dar contorno prático às oportunidades sociais e econômicas dos serviços ecossistêmicos disponíveis na região, aproveitando a experiência do WWF Brasil no entorno do Parque Nacional de Iguaçu.


Em julho, o Curicaca e a WWF reuniram em Porto Alegre diversas organizações para planejar o monitoramento e análise de ameaças à conservação da onça-pintada e de outros grandes mamíferos ameaçados de extinção. A oficina teve a participação de diversos especialistas, incluindo técnicos e pesquisadores do ICMBio, da Sema/RS, da UFRGS e da Brigada Militar. No encontro foram trabalhados os três objetivos principais do projeto - monitorar e analisar as ameaças; fortalecer a inteligência e a fiscalização para melhorar o controle; e ampliar as cooperações e as políticas específicas para a conservação da onça e outros grandes mamíferos na região - e os participantes ficaram encarregados de garantir a implantação das ações como articuladores ou colaboradores. 


No mês seguinte, o Curicaca reuniu-se na Argentina com integrantes do Ministério de Ecología Misiones e gestores e guardaparques do Parque Provincial Moconá e da Reserva de Biosfera Yabotí. A iniciativa faz parte da terceira estratégia, fortalecer a integração do PE Turvo e do Parque Provincial do Moconá, numa cooperação técnica binacional para a implantação conjuntado Plano de Monitoramento e Análise de Ameaças às espécies-alvo. Na mesma data se deu início ao desenvolvimento de uma ferramenta de ciência cidadã para ajudar no monitoramento das ameaças, conduzida pela técnica do Curicaca, Letícia Rech Bolzan. 





Serviços ecossistêmicos associados ao habitat da onça-pintada

Em agosto, Curicaca e WWF Brasil organizaram outra reunião para discutir os serviços ecossistêmicos proporcionados pelo PE Turvo, com o objetivo de reconhecer e fortalecer a contribuição da natureza para o desenvolvimento econômico regional sustentável. Estiveram presentes técnicos representantes da UERGS, UFSM,  Sema/RS, Famurs, Fetag/RS, Consórcio Rota do Yucumã e Secretaria Municipal de Turismo de Derrubadas. Os serviços ecossistêmicos são benefícios à economia e ao bem-estar da população, gerados direta ou indiretamente, e que são indispensáveis para diversas atividades humanas que caracterizam a vida na sociedade moderna. O Parque proporciona ecoturismo, qualidade da água do Rio Uruguai, regulação microclimática, protege berçários para a reprodução de peixes, oportuniza pesquisas científicas e suporte para a educação básica de escolas do entorno,. Uma das necessidades apontadas pelos presentes foi a elaboração urgente do Plano de Uso Público do Parque do Turvo, que deverá impulsionar a economia baseada nos serviços ambientais e fortalecer o turismo na região. 



Na visita técnica que a equipe do Curicaca fez ao Parque do Turvo em outubro, foram justamente os serviços ecossistêmicos o teor principal das reuniões. O projeto foi apresentado no conselho consultivo do Parque e as discussões se concentraram nas oportunidades do Uso Público e nas necessidades para seu aperfeiçoamento. Na reunião com a Secretaria de Turismo, Angelita Bomm, e o Prefeito de Derrubadas, Sr. Alair Cemin, o foco foi a união de esforços na busca do planejamento do uso público, que já tem recursos destinados pela Sema/RS. Na reunião com o Promotor Miguel Germano Podanosche, foi discutido o acompanhamento social para que o turismo possa se desenvolver no Parque sempre em harmonia com a conservação da natureza. De toda essa rodada, surgiu a ideia de uma grande programação para a comemoração do Dia Nacional da Onça-pintada na região. Informe-se no site do Curicaca!


De onde surgiu a parceria com o WWF Brasil?

Há vários anos atrás o Curicaca participou como convidado da WWFBrasil no desenho de planejamento da ecorregião do Alto Paraná, na forma de Corredor Trinacional. Mais tarde passou a integrar a Rede do Corredor de Biodiversidade do Rio Paraná, quando assumiu o papel de articuladora da implantação da porção sul do corredor, que inclui o Parque Estadual do Turvo e as Reservas Indígenas do Guarita e de Nonoai. A parceria tomou proporções práticas no final de 2018, quando o WWF Brasil quis apoiar de forma efetiva a atuação do Curicaca.


Em março deste ano, numa reunião envolvendo WWF México, WWF Paraguai, WWF-Brasil, Fundação Vida Silvestre da Argentina e Instituto Curicaca realizada no Parque Nacional Provincial Moconá (El Soberbio - ArgentinaRG) foi reforçada a parceria para a implantação de um projeto de cinco anos envolvendo uma parte significativa grande do território atualmente ocupado pela onça-pintada. No Brasil, isso ocorre no âmbito do Programa Mata Atlântica do WWF, que trabalha nas ecorregiões da Serra do Mar e do Alto Paraná com estratégias de conservação associadas à criação e ampliação de áreas protegidas e conservadas, restauração florestal, engajamento para mudança política e social e conservação de espécies. 

CURIO1.png