Buscar

Dois anúncios importantes são feitos pela Secretaria do Meio Ambiente durante reunião do CERBMA/RS

No último dia 10 de junho foi apresentado pelo secretário-adjunto da SEMA, Luis Fernando Perelló, durante reunião do Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica o que está sendo conduzido como uma nova política estadual para espécies exóticas invasoras. A apresentação inicial foi comentada por Dennis Patrocínio, diretor do Projeto RS Biodiversidade, programa responsável pela pesquisa e fornecimento dos estudos técnicos que estão na base dessa nova proposta. A iniciativa parece crucial no âmbito de conservação da Mata Atlântica.


O CERBMA/RS encaminhou pedido para que os conselheiros tomem conhecimento dessa política em maiores detalhes, afim de que possa participar ativamente com sugestões ainda na sua fase de consolidação, bem como na etapa de seleção das espécies críticas para as quais as ações estarão voltadas. Quanto à flora já se sabe que o pinus será uma das espécies abordadas e que hoje sua invasão se dá mais e intensamente em áreas abertas, decorrente dos plantios para produção de celulose. Sua proliferação diminui a variabilidade de outras espécies.


Uma sugestão que poderá ser feita pelo CERBMA/RS é pela inclusão na lista de prioridades da uva-do-japão (Hovenia dulcis), embora tenha sido uma planta amplamente utilizada na recuperação de áreas degradadas, com o objetivo de atrair aves e mamíferos, através de seus frutos, a espécie tem se revelado como uma perigosa invasora, multiplicando-se rapidamente e reduzindo a diversidade da mata nativa. Quanto à fauna, duas espécies invasoras sobre as quais deverão ser previstas medidas de contenção são o cervo axis e o javali, criado em diversos pontos do Rio Grande do Sul para produção de carne, mas que aos poucos foi se diluindo em ambientes naturais em prejuízo às espécies nativas.


Outro momento importante desta reunião foi o anúncio da criação do Departamento Estadual de Fauna, à semelhança do que hoje é o DEFAP para a conservação de florestas e áreas protegidas. O coordenador da divisão de fauna, João Carlos Dotto, foi o responsável por fazer esta apresentação preliminar, a partir da qual o CERBMA/RS encaminhou a demanda de conhecer em profundidade o plano de ação que deverá nortear o funcionamento do Departamento nos próximos anos. Os conselheiros do CERBMA se propõem a contribuir no processo, que precisam envolver diversos agentes para que tenham efetividade. Conforme prevê a Lei Complementar Nº 140, se faz necessária a cooperação entre União, Estados e Municípios nas ações administrativas de proteção ambiental referentes à fauna e a flora e o Rio Grande do Sul está se destacando nacionalmente nessa reorganização. 

CURIO1.png