Buscar

Evento discute a utilização de frutas nativas na gastronomia

A preservação do meio ambiente e a geração de renda caminharam lado a lado no encontro para formação nas áreas de segurança alimentar e economia solidária, promovido pela Fundação Luterana de Diaconia (FDL), na quarta feira (7). O Instituto Curicaca esteve presente no evento, que aconteceu na Associação Beneficente Evangélica Floresta Imperial (ABEFI), em Novo Hamburgo (RS), e trouxe aos participantes a chance de compartilhar suas experiências na preservação da biodiversidade aliada à utilização de espécies nativas na produção de alimentos.


Cerca de vinte instituições de diferentes partes do estado participaram do encontro e trouxeram sua contribuição para o debate. Alexandre Krob, coordenador técnico do Curicaca, falou aos presentes sobre a importância da construção de condições para a conservação e o manejo sustentável do butiá, que faz parte do projeto de Uso e conservação dos butiazais do Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Após o debate, foram realizadas atividades práticas de utilização dos produtos na gastronomia, que aconteceram na cozinha industrial da ABEFI.


O encontro também possibilitou o diálogo entre grupos da área rural e da área urbana, o que enriqueceu a discussão por tornar possível a troca de experiências e saberes. Segundo a assessora de projetos da FLD, Juliana Mazurana, “muitos grupos e organizações têm experiências e interesses em comum, complementares, a partir das quais é possível potencializar ações e construir propostas de maior amplitude. Por isso, a ideia da formação e da troca de saberes, que foi muito bem recebida”.


A participação de vinte organizações, incluindo representantes do Núcleo de Economia Alternativa (NEA), da UFRGS, da Emater municipal de Porto Alegre e do Governo do Estado e do Departamento da Agricultura Familiar da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), resultou em propostas de continuidade de diálogos, articulações e de atividades semelhantes, na perspectiva da construção de uma cadeia sustentável das plantas nativas.


Integração de esforços para a conservação e uso sustentável dos butiazais


Dentre as trocas do encontro, surgiram ideias de como fortalecer as ações relacionadas aos butiazais. Uma delas foi a de criação da Rede Butiá, a exemplo da Rede Juçara, uma iniciativa de integração de instituições que vêm atuando pelo uso sustentável dessa outra palmeira ameaçada de extinção. A proposta dessa nova rede estava latente dentro do Instituto Curicaca e do Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP), duas instituições que vêm trabalhando com diferentes espécies de butiazeiros.


Para Alvir Longhi, agrônomo do CETAP, “o butiá é uma fruta que ocorre em vários ambientes do Rio Grande do Sul permitindo, assim, uma grande abrangência no envolvimento e motivação da rede de atores”. Alexandre acrescenta que “a fruta é citada em contos gauchescos, histórias infantis, piadas e expressões que demonstram sua importância na identidade coletiva e a forte interdependência entre natureza e cultura. Está dada a largada para formarmos essa rede e o próximo passo é convidar potenciais integrantes para uma primeira reunião”.

CURIO1.png