Buscar

Instituto Curicaca leva seus trabalhos de conservação ao Simpósio Jaguares

O evento ocorreu como parte da XXXIII Jornadas Argentinas de Mastozoologia, em Puerto Iguazu, durante o dia 11 de novembro de 2022, e reuniou os principais especialistas em conservação da espécie na região da Mata Atlântica do Alto Paraná.


Os novos trabalhos apresentados buscaram atualizar o estado de conservação do hábitat, o "status" da população e as diferentes estratégias para mitigar suas ameaças. O iniciativa buscou também o fortalecimento da cooperação interinstitucional e o aprimorramento de estrategias de conservação do maior felino das Américas no Corredor Trinacional.



Letícia Bolzan, bióloga do Curicaca, apresentou ao grupo três diferentes abordagens que vem sendo desenvolvidas em parceria com o WWF Brasil, FVS Argentina, orgãos públicos estaduais e federais e com pesquisadores da UFRGS.


Sobre a situação da espécie no Parque Estadual do Turvo, as notícias infelizmente não foram boas. A caça tem dominado o território e tem sido o principal responsável pela diminuição da população da pintada, que encontra-se em sério risco de extinção regional.


Dentre as ações para enfrentar o problema, apresentou o Plano Integrado de Controle da Caça facilitado pelo Curicaca e elaborado e implantado por múltiplas instituições parceiras com atuação no tema e na região. Os primeiros resultados, bastante significativos e dentro de seis estratégias, agradaram o público.


Outra ameaça importante que fragiliza a viabilidade da população do grande felino é a fragmentação de habitat, as florestas das quais tanto depende. Os participantes puderam conhecer o desenho e a fase inicial de implantação do Corredos Ecológico do Yucumã, planejado pelo Curicaca e parceiros, e que conecta diversas áreas protegidas do Brasil e da Argentina na porção meridional do Corredor Trinacional, inclusive terras indígenas com grandes remanescentes de Mata Atlântica.


Acompanhe as ações do Instituto Curicaca. Os resumos poderão ser acessados no nosso site.