Buscar

Instituto Curicaca propõe ao ICMBio a criação de UC na região da Lagoa do Morro do Forno

Na reunião do Plano de Ação Nacional (PAN), realizada nos dias 19, 20, 21 e 22 de novembro em Porto Alegre, o Instituto Curicaca entregou ao Instituto Chico Mendes de Conservação a Biodiversidade (ICMBio) a proposta de criação de uma Unidade de Conservação Federal na região da Lagoa do Morro do Forno. A proposta elaborada pela ONG Curicaca, em parceria com o Centro de Ecologia da UFRGS e a Fundação Zoobotânica, é de extrema relevância para a conservação da biodiversidade na região.



Do ano de 2009 a 2010, o Centro de Ecologia da UFRGS e o Instituto Curicaca desenvolveram um projeto na região da lagoa do Morro do Forno, uma das formas de implantação dos Microcorredores Ecológicos de Itapeva. A partir de avaliações, foi comprovada a ocorrência de espécies da flora e da fauna ameaçadas e até a possibilidade de descrição de uma nova espécie de ave nessa área. Em 2011, em razão da importância ecológica presenciada nas avaliações, a UFRGS e o Curicaca entregaram ao governo do estado a proposta de criação de uma UC, que teria em torno de cinco mil hectares e pertenceria a categoria de Refúgio da Vida Silvestre. Como a Secretaria Estadual de Meio Ambiente tem interesse em criar apenas uma Unidade de Conservação no pampa, a proposta não foi colocada em prática.


Com fins de ampliar as chances de conservação da biodiversidade da Lagoa do Morro do Forno, o Instituto Curicaca formalizou uma nova etapa, entregando ao ICMBio a proposta de criação de uma Unidade de Conservação Federal. Segundo Alexandre Krob, Coordenador Técnico do Instituto Curicaca, a região é de extrema prioridade para a conservação da biodiversidade, tem um tamanho significativo e está na fronteira entre dois estados (Santa Catarina e Rio Grande do Sul), abrangendo diversos municípios, além de estar entre duas UC’s federais. Estes seriam motivos suficientes para uma iniciativa federal na região.


O Plano de Ação Nacional (PAN) para a conservação de répteis e anfíbios ameaçados na região sul do Brasil já havia reconhecido a área como de extrema importância. Foi colocada entre as ações do PAN, a apresentação da proposta de criação de uma área protegida na região da Lagoa do Morro do Forno na reunião de monitoramento realizada em novembro. A proposta foi entregue a Andrea Lamberts, técnica do ICMBio e participante do PAN, que ficou responsável por acompanhar o andamento do processo.

CURIO1.png