Buscar

Mais onças-pintadas na floresta é garantia de recuperar o futuro climático

Se conseguirmos salvar a onça-pintada da extinção na Mata Atlântica, esse será um sinal de que conseguiremos salvar também a humanidade. A espécie depende de grandes florestas e de mamíferos que nela vivem e são seu alimento. Árvores e florestas são a melhor solução para minimizar o aquecimento global que cresce desde a era industrial. Caçadores deixaram de ser tolerados para serem infratores da lei ambiental. Logo, se cuidarmos das florestas e enfrentarmos a caça para salvar a onça, salvaremos a nós mesmos.



Estudos indicam que uma onça-pintada fêmea na Mata Atlântica precisaria ter no mínimo 40 km2 de florestas para sobreviver. Uma área assim sequestra de 2,9 milhões de toneladas de CO2/ano. O Parque Estadual do Turvo e o Parque Nacional do Iguaçu sequestram, respectivamente, 128 mil e 1,4 milhões de toneladas de CO2/ano. Como seu objetivo central é proteger a onça, automaticamente sua conservação contribui imensamente para o controle do aquecimento global.


Indo além, a restauração de 40 km2 de florestas ao redor de qualquer dos parques já nos permitiria ganharmos área para mais uma fêmea e isso permitiria um sequestro de mais 10,4 milhões de tonelada de carbono por ano. Hoje no mercado verde do clima, isso poderia gerar um negócio de 8,79 milhões de dólares (R$ 49,13 milhões) por ano durante 20 anos, o que precisa ser acessado por proprietários interessados em restaurar as florestas, sendo nosso grande desafio de motivação e envolvimento.


Infelizmente, ainda estamos na contramão. Nesse dia 29 de novembro de 2021, Dia da Onça-pintada em nível internacional, nacional (BR) e em Derrubadas (RS), a notícia que trazemos é de estarmos jogando nossas chances fora. Novos dados de pesquisa finalizada em outubro deste ano, revelaram um declínio na população da Panthera onca no Corredor Trinacional (Corredor Verde). Passou de uma média de 105 indivíduos em 2018 para 90 indivíduos em 2020. A mudança na curva, que vinha crescendo, se deve a caça e perda de florestas na região sul - Reserva de Yaboti (ARG) e Parque Estadual do Turvo (BR) -, como temos alertado.


A hora de mudarmos radicalmente nosso comportamento é agora, para evitarmos a 6ª extinção em massa da biodiversidade do Planeta, que já se iniciou, e manter o aquecimento global numa média de 1,7°C num cenário intermediário e realista projetado para de agora até 2040. Evitaremos, assim, grande parte da catástrofe climática, ecológica e social anunciadas.


#DigaNãoÀCaça #TodosPeloClima #OnçasdoYucumã


Saiba o que estamos fazendo para evitar a extinção da onça-pintada e ajudar na crise climática


Em forte parceria com o WWF Brasil e agregando outros parceiros nacionais e internacionais de agências públicas e universidades, estamos implantando o projeto Onças do Yucumã (Yaguarete del Mocona). A iniciativa busca promover a implantação do Corredor Trinacional oi Corredor Verde da Onça, que interliga áreas protegidas do Brasil, Argentina e Paraguai. Nosso foco está no apoio a efetividade do Parque Estadual do Turvo, na integração de gestão com as áreas protegidas argentinas, no desenho e implantação de corredor ecológico que integrará os Parques do Turvo, o Parque Provincial Mocona e a Reserva da Biosfera de Yaboti (ARG) às terras indígenas existentes nas proximidades. A iniciativa cooperada contribui também para com o Parque Nacional do Iguaçu.


A caça, a perda de habitat e o ataque de outros mamíferos por carnívoros domésticos foram identificados como as principais ameaças, ao que se soma a pressão do turismo se não for bem planejado minimizando impactos à biodiversidade protegida. O Instituto Curicaca está investindo na qualificação da atuação integrada para o controle da caça, no monitoramento da onça-pintada e suas presas, no fortalecimento da cooperação institucional, sensibilização e envolvimento social. Essa iniciativa em campo é recente, desde 2019, quando até então nossa atuação se dava mais em políticas públicas, e já começa a dar frutos importantes na elaboração e implantação de instrumento de gestão, acompanhamento social e fortalecimento de capacidades.


Saiba mais no artigo detalhado: https://www.curicaca.org.br/publicacoes ou faça o download abaixo.

Artigo_MaisOnçaMaisClima
.pdf
Download PDF • 208KB