Buscar

Mosaico Porta de Torres dá novos passos

O projeto de gestão integrada das áreas protegidas do Planalto, Encosta e Planície Costeira do Rio Grande do Sul, Mosaico Porta de Torres, começou o ano com boas perspectivas. Em reunião realizada com o coordenador da gestão de mosaicos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Alan Crema, o órgão se comprometeu a financiar parcialmente a realização da 2ª oficina de planejamento do mosaico. Além disso, a gestora da Estação Ecológica de Aratinga, Ketulyn Marques, e o analista ambiental do ICMBio, Lúcio Santos, passaram a participar mais fortemente do processo e contribuirão no exercício de formação do conselho.


A Reserva Particular do Patrimônio Natural Mata do Professor Baptista é uma das áreas protegidas que irão compor o mosaicoOs objetivos da próxima oficina são bem claros: a consolidação da proposta de criação do mosaico, que deve ser encaminhada ao Ministério do Meio Ambiente assim que finalizada; a construção do planejamento de implantação e a criação do primeiro desenho do Conselho Consultivo do fórum, principal atividade na qual os novos colaboradores serão inseridos. O evento acontecerá em abril, provavelmente na segunda quinzena, e deverá ser realizado no município de Torres ou de Arroio do Sal, conforme ficou definido na última reunião da Rede de Áreas Protegidas do Litoral Norte.


A proposta contará com a participação de áreas protegidas federais, estaduais, municipais e privadas da região de abrangência do projeto, além de áreas indígenas e quilombolas e do Pró-Mata, da PUC-RS. Serão convidadas a participar da próxima oficina, as áreas que já foram envolvidas no processo anteriormente. Até o momento, o mosaico é composto por quatro Unidades de Conservação federais, sete estaduais, três municipais, uma privada e um conjunto de cinco áreas protegidas que não são UCs.

CURIO1.png