Buscar

Perspectivas para a gestão marinha e costeira no Brasil passam por mudar o atual governo

Ontem estivemos participando do Simpósio Acadêmico de Biologia Marinha (VII SABMAR), que acontece em Torres (RS). O evento é organizado por uma galera competente, coprometida e alegre, que traz muita esperança para o futuro nesse momentos desafiador para o Planeta.



Nosso coordenador técnico e de políticas públicas, Alexandre Krob, participou da mesa "Gestão marinha e costeira: desafios e perspectivas", compartilhando e debatendo ideias com o público e com a Dra. Samanta Cristiano e o Dr. Guilherme Nunes. Duas horas foi pouco numa plateia animada, inquieta e buscando respostas.


Mostramos como o Curicaca tem lidado há 25 anos em meio a um arranjo social que não é, de forma alguma, favorável às necessidades de conservação da natureza e de valorização e justiça social com os povos originários.


"No nosso planejamento estratégico institucional 2030 definimos que com projetos técnicos e ações políticas vamos contribuir no enfrentamento dos três desafios ambientais apontados pela ONU: a sexta extinção em massa da biodiversidade, as mudanças climáticas de origem antropogênica e a poluição, principalmente a dos oceanos com plásticos. Sem esquecer de fazermos isso de forma integrada com outros desafios da humanidade, a crise de valores, a crise humanitária, a crise econômica e a crise política que vivemos", posicionou Krob na abertura de sua fala. Seguiu daí mostrando como temos atuado com bons exempos de sucessos, gerando muitos aprendizados institucional e sendo inspiração para diversos jovens que atuam e colaboram conosco.


O que podemos esperar para os próximos anos de uma sociedade brasileira que vai às urnas dividida entre projetos tão opostos? Foi uma das muitas perguntas provocadoras vindas da plateia.


"Isso trará difículdades para governar, mas a Frente Ampla pela Democracia, que se formou unindo desde a esquera até a direita, deverá derrotar esse governo que está aí fazendo mal ao meio ambiente, provocando ódio e violência, fortalecendo fobias. É a chance de retomarmos o caminho equilibrado e o acompanhamento social depois da vitória será muito importante. Na Coalizão CostaMarSul, estamos nos organizando para levar demandas e proposições ao novo governo".