Buscar

Pesquisas propõem controle de atropelamento de fauna nos Parques Nacionais

A equipe do projeto “Conciliando turismo e conservação nos Parques da Copa: mitigação do impacto do asfaltamento nas rodovias de acesso a UCs” apresenta hoje, na reunião do conselho do Parque Nacional de Aparados da Serra, os resultados e recomendações sugeridas. A iniciativa é do Núcleo de Ecologia de Rodovias e Ferrovias (NERF-UFRGS), coordenado pelo professor e pesquisador da URFGS, Andreas Kindel. As ações ocorrem em parceria com o Instituto Curicaca e o ICM-Bio e, nesses nos últimos dois anos vem sendo realizado com apoio da Fundação Grupo Boticário. O projeto traz dados sobre o atropelamento de fauna, reforça a necessidade de monitoramento nas rodovias e de adoção de medidas que sejam eficazes na redução dos atropelamentos, principalmente, estradas que cruzam ou margeiam Unidades de Conservação.



A iniciativa busca compreender detalhadamente o atropelamentos nas estradas que interagem diretamente com os dois Parques. Monitora a estrada que vai para o “Canyon” da Fortaleza e a que interconecta os municípios de Cambará do Sul (RS) e Praia Grande (SC). Permitiu encontrar falhas nas passagens para a fauna implantadas na estrada que conduz ao Parque Nacional da Serra Geral, que foram feitas sem planejamento, e os riscos que um planejamento errado do cercamento traz, podendo servir até para manter por mais tempo os animais sobre a pista. Outra conclusão, que reforça indicações de trabalhos científicos realizados em outras áreas é que a taxa de atropelamento praticamente dobra quando a estrada é asfaltada. 


Os resultados reforçam a posição histórica do Instituto Curicaca de receio quanto ao grave impacto de rodovias junto à Unidades de Conservação. No caso destes Parques Nacionais, em que a ONG trabalha desde 1997 e integra o conselho desde a sua criação, diversas vezes a situação de risco foi reforçada junto ao órgão gestor e ao Ministério Público Federal. A proposta do Curicaca é que as estradas que cruzam ou margeiam Unidades de Conservação não sejam asfaltadas. Se uma pavimentação é necessária, deve ser feita com bloquetes de cimento, que proporcionam características favoráveis à redução de atropelamento. O projeto apresentará propostas de solução, entre elas medidas para a redução de velocidade e monitoramento por vídeo.

CURIO1.png