Buscar

Plano de manejo da APA ficará pronto em julho, custe o que custar !?!?

Conselho da APA do Banhado Grande avalia o andamento do plano de manejo da UC em reunião extraordinária. A demanda veio do Instituto Curicaca pedindo que a Fundação Zoobotânica fosse convidada para apresentar o andamento dos estudos da biodiversidade, a Geografia da UFRGS mostrasse os estudos socioeconômicos e a empresa de consultoria contratada para o planejamento final viesse apresentar seu método e formas de lidar com o cronograma apertado de seis meses para finalizar tudo. Também foi pedida a presença do Ministério Público Estadual que vem acompanhando e pressionando os prazos.


No meio biótico falta consolidar os alvos de conservação a partir de uma lista sugerida pela FZB e definir claramente as ameaças associadas, No socioeconômico, faltam algumas informações que não foram alcançadas plenamente em suas bases de sados, principalmente das atividades econômicas e seus significados no território, checagens de campo para a percepção dos moradores e alguns itens contratados não poderão ser alcançados. O planejamento vai integrar tudo isso, realizar consultas em oficinas com setores e moradores e desenvolver os programas e o zoneamento, que deve estar pronto até junho de 2020.


Alexandre Krob, do Instituto Curicaca insistiu que os prazos estão bastante apertados para as demandas finais, após anos e anos de morosidade, e que isso poderá trazer graves prejuízos aos resultados. Preocupações também vieram de Tiago Neto, coordenador da Câmara Técnica de Acompanhamento do Plano. O Ministério Público, entretanto, disse que pretende ser rigoroso com os prazos e não está disposto à novas flexibilidades, mesmo que justificadas pelas preocupações do Conselho. De fato, é papel importante do MP pressionar. Krob sugeriu ainda a adoção de uma lógica de planejamento que permite ter mais clareza da relação entre as informações socioeconômicas e os alvos de conservação, o que daria maior segurança e rapidez, inclusive ajustando as perguntas orientadoras do planejamento.



De outro lado, a Sema/RS afirmou que está comprometida com os prazos e buscará a melhor forma para cumpri-los. O diretor do DBio, Diego Pereira, encerrou a reunião reforçando que há no momento três técnicos da Sema dedicados intensamente para isso e os prazos serão cumpridos e que as sugestões metodológicas de ajustes parecem adequadas. Informou que a implementação do CAR, por exemplo, deverá ser uma estratégia importante para esta UC e que a integração da APA com o Refúgio Banhado dos Pachecos já está prevista aproveitando o corredor ecológico do cervo-do-pantanal, trabalho realizado tecnicamente pelo Instituto Curicaca numa cooperação com o INCRA.


CURIO1.png