Buscar

Projeto de Conservação de dunas no Litoral Norte do RS tem sua primeira avaliação

O projeto de Conservação das últimas dunas costeiras do Litoral Norte do Rio Grande do Sul, apoiado pela Fundação O Boticário, concluiu a primeira avaliação do estado de conservação deste ambiente dentro do Parque Estadual de Itapeva. A equipe do Instituto Curicaca percorreu por três vezes todo o conjunto de dunas, as arenosas, as vegetadas e as pequenas associadas às baixadas úmidas. Em trinta pontos, sorteados aleatoriamente, a equipe avaliou a presença ou ausência de espécies ameaçadas que são alvo de conservação (tuco-tuco, lagartixa-das-dunas e butiá-da-praia), junto com a presença de pressões por atividades humanas dentro e fora das parcelas



Os dados estão sendo analisados e uma nova rodada amostral será feita durante o verão, a fim de verificar o quanto a dinâmica dos impactos aumenta com o veraneio, e se essa variação afeta as espécies alvo. Nessa primeira avaliação, quase 70% das parcelas tiveram a presença de vestígios de cachorros domésticos e de lixo. Em 40% das áreas foi registrada a presença de pessoas, através das pegadas, e também foram encontradas marcas de rodas de veículos em 20% das áreas. Para o veraneio, essas ocorrências deverão ser ainda maiores.



Por outro lado, há uma grande expectativa nos benefícios para a natureza da praia em frente ao Parque ser pela primeira vez fechada para a circulação de carros e motos durante a temporada de verão. Essa é a necessidade apontada pelos estudos do Instituto Curicaca, acatadas pelo Ministério Público e o Juíz Federal. No veraneio de 2017 os impactos oriundos dessa fonte serão menores que os medidos em 2015 e 2016 nas pesquisas feitas pelo Instituto Curicaca. Mesmo assim, a Vila Riacho Doce e o Bairro Curtume receberão uma enorme população flutuante, que vem para atuar nos serviços e comércios temporários. Com isso, o Parque terá aumento de impacto nas proximidades da área urbana no seu limite norte, aspecto que também estaremos monitorando.



CURIO1.png