Atualização da base de dados e mapas de áreas prioritárias para a conservação, uso sustentável e repartição dos benefícios da biodiversidade do Pampa

No Brasil, o Pampa ocupa 63% do território sul-riograndense e 2,07% do território brasileiro. Entretanto, o bioma estende-se para o sul pelos territórios do Uruguai e da Argentina constituindo os também denominados Campos da Região do Rio da Prata. As transformações da paisagem do Pampa têm sido bastante intensas ao longo das últimas décadas, especialmente por conta da expansão de áreas agrícolas e das monoculturas de árvores exóticas. Esse contexto de perda de áreas naturais no Pampa contrasta com a pequena quantidade de unidades de conservação (valor inferior a 3% do bioma), situação que coloca o Pampa na pior situação nacional do ponto de vista do risco de conservação.

 

Neste contexto, a definição de áreas prioritárias para a conservação com base na biodiversidade é uma importante ferramenta para a gestão do território e nas tomadas de decisões. Assim, em 2017, o Ministério do Meio Ambiente em parceria com o FUNBIO, dá início ao processo de atualização das Áreas Prioritárias para a Conservação, Uso Sustentável e Repartição dos Benefícios da Biodiversidade do Pampa, onde nossa proposta foi contemplada pelo edital.
 

O Curicaca assumiu o papel de líder e executor deste projeto, mas o trabalho foi articulado com outras instituições parceiras, que também atuam na temática da conservação da biodiversidade do bioma Pampa, sob a forma de um consórcio colaborativo incluindo: a Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, o Instituto de Biociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a Fundação Luterana de Diaconia, o Departamento de Biodiversidade da Secretaria Estadual do Ambiente e Desenvolvimento sustentável e a Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler - Fepam/RS. A motivação para esta parceria surge de um histórico de experiências, de atuação técnica e em políticas pública, por estas instituições no âmbito do bioma Pampa.
 

Situação: concluído


Equipe: Alexandre Krob, Caroline Zank, Bruna Arbo Menezes - Curicaca, Andreas Kindel, Fernando Gertum Becker, Eduardo Vélez - UFRGS. Glayson Bencke,, Jan Kahler Mahl - FZB.
 

Parceiros: Ministério do Meio Ambiente, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Fundação Zoobotância do RS,
 

Financiamento: FUNBIO

CURIO1.png