Artesanato com palha de butiá em Torres: registro e geração de renda para a salvaguarda um bem cultural de comunidades rurais do Litoral Norte do Rio Grande do Sul

O modo tradicional de fazer do artesanato com fibras naturais e a complexidade destes saberes caracterizam-no como um bem cultural expressivo das comunidades locais residentes na Mata Atlântica. Porém, sua transmissão entre gerações está comprometida pela desvalorização que sofreu na era dos produtos sintéticos, o desinteresse dos jovens no conhecimento dos mais velhos e o risco de desaparecimento dos ambientes naturais e das plantas que oferecem a matéria prima.

O processo de salvaguarda do modo tradicional de fazer do artesanato com folhas do butiazeiro (Butia catarinensis) já está em curso numa sequência de iniciativas que o Instituto Curicaca realiza no Litoral Norte do Rio Grande do Sul desde 2003 e que inclui o reconhecimento do bem cultural e mapeamento de seus portadores; realização de pré-inventário; trocas de saberes entre artesãos e destes com a academia; visibilidade ao bem cultural e seus portadores nas mídias regionais; pesquisas para a conservação ambiental dos ecossistemas e plantas que fornecem as fibras; apoio à organização social e construção de capacidades políticas do grupo minoritário de artesãos; articulações com o poder público para a normatização do extrativismo e retirada dos extrativistas da ilegalidade e ampla parceria multi-institucional para mudar o curso da degradação ambiental e cultural.

O objetivo principal desse projeto é registrar o artesanato com palha de butiá como um bem cultural e oportunidade de renda das famílias de artesãos do Litoral Norte do Rio Grande do Sul, fomentando a sua prática e qualificando seus portadores para a maior geração de renda, ampliando a divulgação do do bem e do processo de salvaguarda e fortalecendo a capacidade do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Estadual (IPHAE) inventariar o patrimônio cultural imaterial.

Situação: em andamento


Equipe envolvida: Alexandre Krob, Patrícia Bohrer...


Apoio financeiro: (?)


Parceiros: Secretaria do Estado da Cultura (SEDAC/RS), Centro de Ecologia da UFRGS, EMATER-RS, IPHAE e IPHAN.


CURIO1.png