RPPN - Mata do Prof. Baptista

A criação de uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) é de iniciativa única e exclusiva do proprietário da área, que arca com o compromisso de conservar a área, proteger recursos hídricos, manejar os recursos naturais e desenvolver atividades educacionais, recreativas e de pesquisa.

 

 

A perda e a fragmentação das áreas naturais são as principais ameaças à diversidade biológica do planeta e impedem a manutenção das espécies e ecossistemas.

A região recebe uma enorme pressão da agricultura e com isso, tem na perda e fragmentação das áreas naturais a principal ameaça à diversidade biológica. Nesse contexto, a RPPN tem funcionado como um refúgio para algumas espécies que sofrem pressão em áreas vizinhas, mas seu tamanho diminuto não é capaz de compensar sozinha a fragmentação do entorno. 

QUEM SOMOS

Luis Rios de Moura Baptista, professor Baptista, como é conhecido na região da RPPN e na Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS -, conheceu a mata da Cova Funda em 1958, em excursão do curso de História Natural da UFRGS. Voltou ao local diversas vezes com pesquisadores da seção de Botânica do Instituto de Ciências Naturais - ICN (depois Departamento de Botânica do Instituto de Biociências).

Em 1972 alertado dobre derrubada na área entrou em contato com os donos e realizou a compra da propriedade para preservar e para atividades de pesquisa e educação.

Possui graduação em História Natural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Bacharelado 1958 e Licenciatura 1959). Doutorado e Livre Docência em Botânica também pela UFRGS (1975). Tem experiência em Taxonomia Vegetal e Ecologia Vegetal atuando principalmente nos seguintes temas: Mata Atlântica, Flora e Vegetação do Rio Grande do Sul, Fitossociologia e Dispersão.
Em 2016 foi homenageado com o título de professor Emérito pela UFRGS.  

CURICACA CO-GESTOR

A ONG Curicaca, através do Projeto Microcorredores Ecológicos, vem atuando na região com o objetivo de estabelecer conectividade entre os fragmentos e garantir o fluxo das espécies e a conservação dos remanescentes da Mata Atlântica. Assim, devido à relevância de sua propriedade no contexto do projeto microcorredores ecológicos e para a conservação da Mata Atlântica do Rio Grande do Sul. 

No ano de 2016 o Instituto Curicaca elaborou o Plano de Manejo da RPPN Mata do Professor Baptista que pode ser visualizado aqui.

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade é um órgão federal no qual é responsável por gerir, monitorar, proteger as Unidades de Conservação, de acordo com o Sistema Nacional de Unidades de Conservação. A RPPN Mata do Professor Bapstista, é uma UC federal reconhecida pelo ICM-BIO.

ICM - BIO

Em razão da localização, a RPPN tem fundamental importância para a conservação da fauna, atuando como corredor para as populações e comunidades ali encontradas.

  
É uma área muito importante para a conservação de répteis e anfíbios, tendo em vista que algumas espécies raras de répteis só possuem registro no município de Dom Pedro de Alcântara, possivelmente ocorrendo na UC.

 
Além disso, representa um refúgio importante para a conservação de aves e mamíferos no Litoral Norte do RS.

A área em que se situa a RPPN abrange um remanescente de Floresta Ombrófila do Litoral Norte quase extinta em virtude do uso para agricultura.


Essa área é um ponto importante porque é delimitada como a entrada de floresta atlântica no Rio Grande do Sul.

Estrada da Cova Funda e Arqueologia

A estrada da Cova Funda faz parte do patrimônio material da RPPN, fazendo parte dos sítios arqueológicos, consiste em uma estrada colonial de acesso à região, utilizada com carros de boi e que se configura como um aprofundamento no terreno escavado pelas rodas em meio ao arenito.

Corredores Ecológicos

A criação de Unidades de Conservação e de mosaicos/corredores é uma ação prioritária para a área, o que ressalta duplamente a importância desta iniciativa de criação de RPPN, já que criação de UC na região é uma das estratégias de implantação dos corredores ecológicos de Itapeva, projeto desenvolvido pela ONG Curicaca.

Recursos Hídricos

A RPPN é rica em recursos hídricos, contendo Área de nascentes que drenam para o cordão lagunar da Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí associado ao açude natural, que está localizado próximo à estrada.

Regulação Clímatica

A mata que envolve a RPPN é peça fundamental para amenizar os efeitos da atropização ao redor da área, evitando o superaquecimento em função da poluição causada pelo funcionamento da cidade. 

Sequestro de Carbono

A área de aproximadamente 9,20 hectáres, com o bioma Mata Atlantica sendo predominante, tem uma grande importância para o sequestro de carbono ocasionado proveniente da cidade, tendo em vita que as florestas comportam-se como uma barreira física para a poluição. 

Suporte à Polinização 

Um dos serviços ambientais muito importante que a RPPN trás à comunidade é a manutenção da produtividade agrícola, em razão da fauna polinizadora estar presente nessa área.

Turismo

O turismo sustentável é bem vindo na RPPN, tendo em vista que a área preservada tem potencial para essas atividades, podendo ser implementado as práticas de desenvolvimento sustentável para a geração de renda para a comunidade. Em alguns países, em que áreas são preservadas e tem o intuito a conservação dos ecossistemas, o turismo ecológico é a principal fonte de renda. 

LOCALIZAÇÃO

A RPPN Mata do Professor Baptista está localizada no município de Dom Pedro de Alcântara, vizinho dos municípios de Morrinhos do Sul, Três Cachoeiras e Torres. Pode ser acessada a partir da BR 101, por meio do acesso principal à cidade de Dom Pedro de Alcântara. Para quem vem do norte, o acesso está à direita antes da elevada, e para quem vem do sul, à esquerda, sendo necessário utilizar um retorno por baixo da elevada. As placas a serem seguidas são as que indicam Dom Pedro de Alcântara. Após deixar a BR 101, a entrada da RPPN está à esquerda, logo após o canteiro central com a figueira, na segunda curva depois do pórtico municipal. O acesso se dá por estrada pavimentada.

CURIO1.png