Buscar

Feira possibilita diálogo entre ciência e sociedade


Nos dias 5 e 6 de outubro, o Instituto Curicaca esteve presente na I Feira de Popularização e Ensino da Ciência da UFRGS. A oportunidade permitiu, além da divulgação das atividades realizadas na parceria entre ONG e universidade, um momento de diálogo com comunidade acadêmica e público em geral. Na quinta-feira, 6, a bióloga Simone Ximenes, do Curicaca, apresentou o pôster "Áreas protegidas com espaços de troca de saberes entre a universidade e a comunidade local" um dos eixos transversais ao projetos do Instituto para conservação da Mata Atlântica.

A importância em aproximar os conhecimentos científicos à população é fundamental, conforme afirma o coordenador técnico do Instituto Curicaca, Alexandre Krob. “A Feira possibilitou mostrar ao público como o Curicaca age na função de mediador no cotidiano de crianças e comunidades locais”, avaliou Krob. A graduanda de Letras da UFSM, Betyna Preischardt, interessou-se pelo trabalho do Curicaca. Conversando sobre sua experiência de pesquisa na área de popularização da ciência, apontou a importância dessas iniciativas, “as pessoas possuem dificuldade em fazer a relação da ciência no seu dia a dia”.

Visitaram a estande do Instituto estudantes da UFRGS e de outras universidades, idosos, crianças de várias escolas de Porto Alegre e região metropolitana e também uma excursão de estudantes alemães. Sara Veit, da cidade de Kiel na Alemanha, apoiou a campanha do Curicaca por Itapeva e também assinou o abaixo-assinado em prol do Parque.  A estudante de Biologia Marinha do Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Marinhos (Ceclimar) da UFRGS, Rita Gabriela Martinez, propôs a elaboração de projetos conjuntos com o Curicaca e também levou um exemplar do livro Microcorredores Ecológicos para a biblioteca do seu campus.



Na quinta-feira, 6, outros materiais pedagógicos estiveram expostos na estande e foi possível jogar com as crianças o "Jogo da conduta consciente em unidades de conservação". Os professores de escola pública do bairro Restinga observando os alunos jogando com entusiasmo, ficaram animados “quando eles forem visitar o Parque Estadual de Itapuã já estarão preparados para fazer uma visita consciente”. 


Simone Ximenes, bióloga do Curicaca, aponta a importância da experiência de popularização da ciência na formação dos graduandos e vê com satisfação o espaço que foi aberto na UFRGS para divulgação desses trabalhos. “Não só a sociedade quer saber a produção científica, mas também os pesquisadores querem divulgá-la”. Simone foi bolsista de iniciação à popularização da ciência, entre 2010 e 2011. Esteve envolvida em diversos projetos do Curicaca, como a produção e lançamento do livro Microcorredores Ecológicos de Itapeva; o Ciclo de Desenvolvimento Sustentável; e a educação ambiental que está sendo desenvolvidas em Viamão. “Tem sido freqüente o interesse de estagiários em permanecer envolvidos com a ONG após o final das bolsas, o que aconteceu com Simone, hoje uma das biólogas da instituição”, explica Krob. 

CURIO1.png