top of page
Buscar

Curicaca aguarda com expectativa documento final da oficina de planejamento do PARNA Lagoa do Peixe

Membro do Conselho do Parque Nacional da Lagoa do Peixe (PARNA Lagoa do Peixe), a Curicaca segue aguardando o documento final da oficina de planejamento do Sítio Ramsar na Unidade de Conservação (UC), da qual participou a convite do Ministério do Meio Ambiente (MMA). O PARNA abriga um dos oito Sítios Ramsar – um tipo de área úmida – existentes no país.


Reunido na cidade de Mostardas/RS ao longo de quatro dias, o grupo formado por técnicos, pesquisadores, representantes da comunidade e pescadores e agricultores envolvidos com a UC identificou oito principais alvos para a conservação da biodiversidade, sete deles no Parque e um no seu entorno. Dentro da UC, o cordão lagunar do parque, as marismas, a mata de restinga, os campos arenosos e os olhos d’água, as dunas móveis e a praia e o camarão foram considerados prioritários; no entorno, apontou-se o complexo de banhados junto à Laguna dos Patos como de grande relevância para a preservação da diversidade biológica. Para cada um dos alvos, o grupo avaliou as ameaças existentes, sua intensidade, significado, abrangência e chances de reversão. A partir daí, se estabeleceu um conjunto de ações a serem realizadas a médio prazo, com a finalidade de reduzir tais ameaças.


O encontro estava marcado por uma tendência ao conflito, acarretada por algumas situações relacionadas ao Parque, como o manejo da Barra da Lagoa do Peixe, que é aberta artificialmente para a pesca do camarão, e o impacto causado pelo gado dentro da UC. Ao longo da reunião, porém, esses conflitos foram acomodados graças à capacidade de diálogo, desenvolvida com o apoio da Curicaca, que possui experiência no diálogo com representantes da comunidade.



Uma das situações conflituosas se deu em relação aos banhados do entorno. Os representantes da comunidade mostravam-se resistentes a considerá-los um alvo de conservação, devido a práticas como a cultura de arroz e a drenagem, associadas a eles. Com a negociação, foi acertada uma atuação pró-ativa, para uma produção preocupada com o meio ambiente. Em uma visita técnica feita ao local no final dos trabalhos, os participantes depararam-se com um ninhal de Trinta-réis (foto), com o que ficou comprovada a importância desse acerto.


Os trabalhos foram parte de um projeto do MMA para a consolidação dos Sítios Ramsar brasileiros e ocorreram de 10 a 13 de dezembro. Agora, as propostas estão em processo de encaminhamento. “Estamos aguardando o documento final desta oficina com grande expectativa. A partir dele, será possível intensificar estrategicamente essas ações de conservação de biodiversidade, uma vez que o plano de manejo atual é um documento demasiadamente extenso, que muitas vezes dificulta uma atuação mais eficaz”, lembra Alexandre Krob, que, junto com Jan Mähler Jr., representou a Curicaca no encontro.

Comments


bottom of page