Buscar

Curicaca aguarda com expectativa documento final da oficina de planejamento do PARNA Lagoa do Peixe

Membro do Conselho do Parque Nacional da Lagoa do Peixe (PARNA Lagoa do Peixe), a Curicaca segue aguardando o documento final da oficina de planejamento do Sítio Ramsar na Unidade de Conservação (UC), da qual participou a convite do Ministério do Meio Ambiente (MMA). O PARNA abriga um dos oito Sítios Ramsar – um tipo de área úmida – existentes no país.


Reunido na cidade de Mostardas/RS ao longo de quatro dias, o grupo formado por técnicos, pesquisadores, representantes da comunidade e pescadores e agricultores envolvidos com a UC identificou oito principais alvos para a conservação da biodiversidade, sete deles no Parque e um no seu entorno. Dentro da UC, o cordão lagunar do parque, as marismas, a mata de restinga, os campos arenosos e os olhos d’água, as dunas móveis e a praia e o camarão foram considerados prioritários; no entorno, apontou-se o complexo de banhados junto à Laguna dos Patos como de grande relevância para a preservação da diversidade biológica. Para cada um dos alvos, o grupo avaliou as ameaças existentes, sua intensidade, significado, abrangência e chances de reversão. A partir daí, se estabeleceu um conjunto de ações a serem realizadas a médio prazo, com a finalidade de reduzir tais ameaças.


O encontro estava marcado por uma tendência ao conflito, acarretada por algumas situações relacionadas ao Parque, como o manejo da Barra da Lagoa do Peixe, que é aberta artificialmente para a pesca do camarão, e o impacto causado pelo gado dentro da UC. Ao longo da reunião, porém, esses conflitos foram acomodados graças à capacidade de diálogo, desenvolvida com o apoio da Curicaca, que possui experiência no diálogo com representantes da comunidade.



Uma das situações conflituosas se deu em relação aos banhados do entorno. Os representantes da comunidade mostravam-se resistentes a considerá-los um alvo de conservação, devido a práticas como a cultura de arroz e a drenagem, associadas a eles. Com a negociação, foi acertada uma atuação pró-ativa, para uma produção preocupada com o meio ambiente. Em uma visita técnica feita ao local no final dos trabalhos, os participantes depararam-se com um ninhal de Trinta-réis (foto), com o que ficou comprovada a importância desse acerto.


Os trabalhos foram parte de um projeto do MMA para a consolidação dos Sítios Ramsar brasileiros e ocorreram de 10 a 13 de dezembro. Agora, as propostas estão em processo de encaminhamento. “Estamos aguardando o documento final desta oficina com grande expectativa. A partir dele, será possível intensificar estrategicamente essas ações de conservação de biodiversidade, uma vez que o plano de manejo atual é um documento demasiadamente extenso, que muitas vezes dificulta uma atuação mais eficaz”, lembra Alexandre Krob, que, junto com Jan Mähler Jr., representou a Curicaca no encontro.

CURIO1.png