Buscar

Curicaca apresenta PROCERVO ao Conselho da APA do Banhado Grande

Na semana passada, o Instituto Curicaca esteve presente na Reunião do Conselho da Área de Proteção Ambiental (APA) do Banhado Grande, que aconteceu na Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul (FZB),em Porto Alegre. A participação, feita a convite da gestora do local, Luisa Lokschin, teve como objetivo expor aos membros do Conselho o Programa de Conservação do Cervo do Pantanal no Rio Grande do Sul – PROCERVO.


A APA do Banhado Grande abrange os municípios de Gravataí, Santo Antônio da Patrulha, Glorinha e Viamão. Este último abriga o Refúgio da Vida Silvestre Banhado dos Pachecos e seu entorno, onde o cervo tem sido avistado. O coordenador técnico do Curicaca, Alexandre Krob, e uma das biólogas envolvidas no PROCERVO, Simone Ximenes, explicaram aos conselheiros a evolução do projeto e quais são os objetivos almejados. Além disso, falaram um pouco sobre a espécie, sua relação com a comunidade e a importância do cervo para a identidade cultural da região e das áreas úmidas do estado.


Os membros do Conselho alertaram para a ausência do cervo no Plano Ambiental da bacia do Gravataí que está sendo desenvolvido, e pediram a intervenção do Curicaca para que seja destacada a importância da espécie na área. Também foi discutida a necessidade de uma maior controle das alterações no sistema hídrico provocada pela produção de arroz, pois está ocorrendo uma forte redução do habitat preferencial da espécie e isso apresenta-se como uma ameaça.


Muitos dos participantes da reunião desconheciam detalhes da presença da espécie na região e dizem ter gostado muito do projeto. O diretor-presidente da Fundação Municipal do Meio Ambiente de Gravataí, Paulo Muller, que vive na região, contribuiu com relatos históricos e culturais da presença do cervo e se mostrou disponível para colaborar com ações conjuntas que possam somar conhecimentos e auxiliar na evolução do PROCERVO.


Contribuições extras


Embora o foco principal fosse o PROCERVO, o Instituto Curicaca pode contribuir também com discussões que envolveram outros temas já conhecidos da ONG, como, por exemplo, a Educação Ambiental.


Está sendo desenvolvido pela FZB o plano de manejo da APA, que deverá incluir um programa de Educação Ambiental. Baseado nas experiências de planejamento que a ONG possui, Alexandre Krob propôs que o Conselho subsidie a Fundação com as diretrizes para o Programa de Educação Ambiental no local, ao invés de debruçar-se sobre a elaboração de um Plano de Educação Ambiental. “Por se tratar de uma região muito ampla, a criação de um plano específico para a Educação Ambiental oferece o risco de ‘engessamento’ de ações que podem ser realizadas pelas múltiplas instituições que atuam na APA e, ao mesmo tempo, tornar-se um instrumento paralelo ao Plano de Manejo, o que seria pouco eficaz”, explica.


Foi citada também a presença de butiazais centenários dentro da APA, o que interessa ao Instituto Curicaca pela relação com o projeto de conservação e uso sustentável dos Butiazais do Litoral Norte.

CURIO1.png