Buscar

Estrada do Colono, no Parque Nacional do Iguaçu, pode ser reativada após 12 anos



A história se repete, talvez com riscos e impactos ainda maiores. A Estrada do Colono, como é conhecido no Oeste do Paraná o trecho da PR-495 que atravessa o Parque Nacional do Iguaçu, foi fechada em 2001 pelo Governo Federal devido aos problemas que trazia ao Parque e à segurança pública. Agora, o Projeto de Lei 7123/2010, já aprovado na Câmara dos Deputados e a caminho do Senado, institui a Estrada-Parque Caminho do Colono e altera o Sistema Nacional de Unidades de Conservação, criando uma nova categoria da área protegida, a estrada-parque, que não tem qualquer justificativa ou apoio técnico.


Nos dias 2 e 3 de setembro, o coordenador técnico do Instituto Curicaca, Alexandre Krob, participou de um evento no Parque Nacional de Iguaçu e o tema foi tratado entre os assuntos gerais. Segundo o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a reabertura da estrada é inconcebível. Fechada a mais de 10 anos, a via está coberta por Mata Atlântica em estágio avançado de regeneração e o impacto causado pela estrada fragmentaria o corredor ecológico utilizado pelas onças, colocando em risco esta e outras espécies ameaçadas ali protegidas.


Na época do fechamento, a Unidade de Conservação, que é também Sítio do Patrimônio Mundial Natural reconhecido pela Unesco, foi enquadrado na categoria de “sítio em perigo” devido à presença da estrada. As condições não mudaram, mas o atual ambiente de retrocessos nas políticas ambientais brasileiras tornou-se adequado para mais essa investida do Legislativo Federal.


O Instituto Curicaca apóia integralmente a manifestação de várias instituições no documento “10 fatos sobre a Estrada do Colono e o Parque Nacional do Iguaçu (PR)” – veja aqui. Se o Senado também aprovar o PL, restará à presidente Dilma Rousseff a obrigação de vetá-lo.

CURIO1.png