Buscar

Procervo define novas perspectivas

Na última quarta-feira, 30, foi realizada reunião do Procervo – Programa de Conservação do Cervo do Pantanal no Rio Grande do Sul -, com representantes do Ibama, Fepam, Defap, UFRGS e o Instituto Curicaca. Na ocasião, foi discutido o planejamento do programa pra 2012. Há grande expectativa na aprovação do projeto “Ainda há chance para o cervo do pantanal no Rio Grande do Sul?” enviado à Fundação Boticário para captação de recursos.

Com a articulação de esforços entre sociedade civil, academia e poder público, certamente será possível preservar essa espécie que se considerava praticamente extinta no estado. “Estamos avaliando a possibilidade de utilizar um cão treinado para farejar fezes a fim de coletar material para análise genética da população de cervo do pantanal na região, também estamos tentando meios para um sobrevôo que nos permitirá contagem”, explica Alexandre Krob, coordenador técnico do Instituto Curicaca. O resultado do edital da Fundação Boticário vai sair em dezembro.


O papel de cada instituição no programa ainda está sendo detalhado e se está na fase de formalização das parcerias. Nessa nova etapa de 2012, a idéia é que a Fepam qualifique a outorga do uso da água na região visando os poucos remanescentes de banhados ainda existentes e ajude no senso aéreo. O Ibama estaria responsável pela fiscalização, controle de conflitos e apoio no mapeamento do ambiente onde a espécie ocorre. O Defap focaria no planejamento e implantação das Unidades de Conservação visando mais segurança na proteção da espécie. A UFRGS, a UNESP e a FZB com a parte de pesquisa, monitoramento e apoio ao planejamento.


“O Curicaca promove a educação ambiental e o diálogo social, atua em cooperação técnica com todos esses atores e vai articular as ações buscando a visão sistêmica necessária para preservação de qualquer espécie”, esclarece Krob. Segundo o coordenador técnico, o programa está avançando dentro do previsto e com o apoio nas informações que serão obtidas, a partir do melhor conhecimento da população e suas ameaças, vai ser realizado um plano emergencial para sua conservação.


O cervo do pantanal no RS


Uma pequena população isolada do maior cervídeo da América do Sul, o Cervo do pantanal (Blastocerus dichotomus) apresenta uma distribuição

residual no Rio Grande do Sul, na bacia do rio Gravataí, e ocupa, principalmente, o Refúgio da Vida Silvestre Banhado dos Pachecos (RVS) e a APA Banhado Grande . Ele está ameaçado pela caça e degradação de seu hábitat e é considerado criticamente em perigo no RS e uma espécie vulnerável nacional e globalmente. Atualmente não existe uma estimativa do tamanho dessa população no estado. O Procervo entra nesse contexto tentando articular esforços para preservação dessa espécie bandeira.


CURIO1.png